Acordeões do Mundo



Mensagem do Director

Em 2016 aproximamos mundos e civilizações através do acordeão. A música oriunda do mundo árabe, representada por acordeonistas vindo do Líbano e do Egipto, é demonstração da vontade de nos debruçarmos sobre o desconhecido. A música é um extraordinário veículo para ligar ocidente e oriente e, assim, poder conhecer culturas com as quais temos vínculos passados. O presente parece indiciar a aberura de roturas que se aprofundam dia a dia. Acreditamos no estender a mão através das artes. Que esse gesto é um passo para diminuir o espaço que nos separa. Teremos, também, músicos portugueses e brasileiros num cruzamento de culturas e miscigenações que nos caracteriza.

No primeiro fim de semana, teremos o libanês Elias Lammam, a abrir o Festival, unanimemente considerado o melhor acordeonista microtonal da sua geração e um dos maiores do mundo que se fará acompanhar pelo seu Ensemble. Segue-se Youssra El Hawary uma acordeonista, cantora, compositora e atriz egípcia com uma presença muito expressiva em palco e estilo musical único, que lhe granjeou atenção internacional. Uma das vozes femininas mais francas e mordazes na sua consciência política e abordagem interventiva das suas canções.

No segundo fim de semana teremos o projecto FANDANGO, mistura exótica de melodias portuguesas com beats de eletrónica. Um projeto de Luís Varatojo e de Gabriel Gomes que ilustra o que de melhor se está a fazer na música portuguesa. Esta é aliás uma realidade que importa apoiar e dar a conhecer, traço comum de todas as edições do Festival, o dar espaço aos músicos portugueses, seja nos concertos do Teatro-Cine, seja nas já muito celebradas Merendinhas que ocupam os espaços da nossa cidade. A terminar o gaúcho Renato Borghetti regressa com "Gaita na Fábrica" na bagagem. Em formação de quarteto, sempre fiel a uma sonoridade de raíz folclórica, Borghetti regressa com a sua "gaita-ponto" (híbrido de concertina e acordeão de botões) e o estilo inconfundível que o caracteriza.

Sejam bem vindos pois

João Garcia Miguel