Acordeões do Mundo



Mensagem do Diretor

No âmbito das Festas da Cidade de 2014 realiza-se entre 25 de outubro e 11 de novembro, a décima primeira edição do Festival Internacional "Acordeões do Mundo". Este evento é aguardado com enorme expetativa pela população do concelho, pelos nossos vizinhos da região Oeste e aficionados que nos visitam de outros cantos do país. Nas últimas edições constatámos que o Festival atrai crescentemente público internacional que aproveita a sua estadia na região e ou no país para nos visitar e participar na festa do acordeão.
Este ano programámos cinco espetáculos e dezassete merendas. Estas merendas do acordeão são acontecimentos únicos em que a tradição e o social se cruzam por influência das artes musicais. Realizam-se em diversos estabelecimentos locais - numa verdadeira celebração popular da música e do convívio que o acordeão proporciona e que se alastra às ruas da cidade de Torres Vedras. O primeiro dos cinco concertos foi idealizado como um tributo à acordeonista Eugénia Lima - que nos deixou em 2014. Os acordeonistas convidados vão interpretar músicas da homenageada e suas numa simbiose entre passado e futuro da música popular. Um agradecimento aqui fica ao Rodrigo Maurício que nos apoiou na realização deste evento maravilhoso de tributo à música, a uma artista e à cidade que se orgulha de a ter acolhido várias vezes - tendo-lhe inclusive prestado uma emocionante homenagem em 2011.

Este ano em que ultrapassamos uma década de realizações, que estão na memória dos que tiveram a sorte de aqui estarem connosco como momentos artísticos excecionais, o eclectismo de expressões musicais, cujo centro é o acordeão, recorde-se, atinge um renovado impulso. Conjugando o jazz, o clássico, as raízes e o mais contemporâneo o festival cumpre-se com um elenco que traz jovens músicos e valores consagrados do panorama internacional. Focámos essencialmente a atenção da programação sobre as modalidades europeias do instrumento. O acordeonista português João Frade e o guitarrista e violinista brasileiro Munir Hossn com o projecto "Piriquitos e Botonetes" conjugando as suas raízes musicais; Kepa Junkera cumprirá trinta e cinco anos de carreira a tocar a sua trikitixa em 2015, o acordeonista basco regressa acompanhado pelo septeto Sorginak e promete um concerto inesquecível; Pietro Adragna o jovem e premiado acordeonista siciliano faz-se acompanhar por Sergio Odori - percussões e Cosimo Ravenni - contrabaixo; o finlandês Kimmo Phojonen explora e expande as possibilidades do acordeão proporcionando uma monumental experiência de som e luz os seus espetáculos - é um artista que o festival há anos tem procurado trazer e que nos dará o enorme prazer de o encerrar em 2014.

João Garcia Miguel, diretor do festival

                Água do Vimeiro