Acordeões do Mundo



Acordeões do Mundo - Festival Internacional de Acordeões de Torres Vedras

O território inscreve-se também como memórias, nestes contínuos ciclos estabelecidos pelo "modus vivendi" da nossa coletividade. Aprendemos a partilhar, construindo o propósito de uma identidade forte, capaz de ultrapassar os estigmas e de dar alento aos rumos que estamos dispostos a alterar. Hoje a cidade e o seu concelho podem afirmar que o programa das festas possui uma identidade singular no som dos acordeões, esse som que as memórias transportam das adiafas, ecoava nas adegas, nas tabernas, nos terreiros e constituía-se como polo aglutinador e estimulante capaz de superar um trabalho árduo.

É desse estímulo que falamos quando apresentamos em Torres Vedras o mais singular dos festivais em Portugal. Neste território ao longo destes anos em que foram sendo apresentados como arte de tecelagem, um mundo sonoro de consonâncias e de dissonâncias, de gostos e desgostos musicais, de que só os mais distraídos não usufruíram.

Um festival é também o local onde podemos redescobrir o que nos é estranho, porque ele proporciona-nos projectos oriundos de outras culturas e de outras geografias, tornando-nos mais ricos porque apreendemos as diferenças. Este ano teremos a honra de partilhar 4 concertos de palco, com os Uwaga Quartett (Alemanha), Maurizio Minardi trio (Itália/Reino Unido) , Didier Laloy & S-Tres (Bélgica) e Celina Piedade (Portugal) além, claro está, das nossas Merendas do Acordeão, palcos inteiros onde os músicos acordeonistas nacionais fazem dos seus concertos espaços de convivialidade e de festa.

A música de acordeões volta a estar por aí, dando-nos desde Eastern European gipsy music, Jazz, Pop, Tango, ao reportório das danças portuguesas e um folk europeu renovado e por descobrir.

Bem-vindos a mais um festival de identidade torriense.


Carlos Mota
Diretor do Festival

                Água do Vimeiro