Acordeões do Mundo



Concertos 2011

ACORDEÕES DO MUNDO
27 DE OUTUBRO A 12 DE NOVEMBRO
CONCERTOS


28 DE OUTUBRO (SEXTA-FEIRA)
21h30 | Korrontzi [País Basco]
Local | Teatro-Cine de Torres Vedras

Korrontzi é um grupo revelação, que a partir da antiga tradição do "trikitilari" (intérprete de concertina, chamado "Korrontzi"), que costumava chegar todos os domingos à praça principal da cidade de Munguia (Vizcaya), em cima de um burro. Este músico transmitia alegria às pessoas que saíam da missa das 11 horas de domingo. O grupo quis assim homenagear a cultura popular basca, mas enganem-se aqueles que julgam que este grupo, que por terem por base as tradições seculares da sua cultura, não procuram novas influências contemporâneas proporcionando espectáculos cheios de energia e com muita alegria.
Vencedores do prestigiado prémio "Navelgas" das Astúrias (2006) como a banda revelação nacional e do prémio EUROFOLK (2008) como melhor banda europeia, recebendo aplausos da critica especializada pela fusão musical que proporciona.
Agus Barandiaran| Trikitixa (acordeão diatónico - concertina) & vozes
Kike Mora| Guitarra Baixo
Iker Lope de Bergara | Alboka (clarinete duplo Basco ), albokote, whistles ,flauta transversal, tambourine, txistu (flauta basca), xirula (three hole Basque flute) & backing vocals
Ander Hurtado de Saratxo| bateria e caixa
Alberto Rodriguez | guitarra acústica e bandolim

30 DE OUTUBRO (DOMINGO)
18h00 | "Surrealistic Discussion"
Sérgio Carolino e João Barradas [Portugal] » Estreia Mundial «
Local | Teatro-Cine de Torres Vedras

"Uma Tuba e um Acordeão são provavelmente dois dos instrumentos os quais raramente se encontraram em situações musicais, e os quais têm apenas em comum, serem ambos ‘instrumentos de sopro'!
Vem este projecto colmatar essa lacuna e juntar estes dois magníficos instrumentos, aumentando de forma significativa o repertório original e eclético para esta formação! Tuomas Turriago e Jarmo Sermilä (Finlândia), Stéphane Krègar (França), Étiènne Crauzas (Suíça), Jon Hansen (EUA), Pedro Santos e Eugénio Amorim (Portugal) e Dimitris Andrikopoulus (Grécia) responderam afirmativamente ao convite lançado para escreverem novas obras, entrando nesta nova e desafiante aventura musical...

Sérgio Carolino | Tubas
João Barradas | Acordeão


4 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA)
21h30 | "Jangada de Acordeões"
Artur Fernandes, Xuan Nel Expósito, Ignacio Alfayé e Pedro Pascual
[Portugal e Espanha ] » Estreia Mundial «
Local | Teatro-Cine de Torres Vedras

Na sequência de diversos encontros destes quatro músicos em workshops e concertos, foi-se discutindo a ideia de se constituir um projeto artístico Ibérico em torno do Acordeão Diatónico.
O objectivo seria a partilha de repertórios tradicionais de cada uma das regiões representadas, bem como de repertório popular de baile que se produziu na viragem do séc. XIX para o séc. XX, associado à implementação do Acordeão Diatónico na Península Ibérica; Tangos, Valsas e outros, que foram sendo marginalizados como resultado do processo de folclorização.
A designação "Jangada de Acordeões" é uma referência à obra de José Saramago "Jangada de Pedra". Alegoricamente, a Península Ibérica desmembra-se do resto da Europa e navega à deriva pelo Atlântico em busca da sua identidade cultural.
Considerando a diversidade linguística na península, a designação deste projeto artístico poderá assumir as diferentes línguas peninsulares: em Galego, Xangada de Acordões, em Português, Jangada de Acordeões, em Basco, Balsa akordeoiak, em Castelhano, Balsa de Acordeones, em Catalão, Bassa Acordions, em Asturiano, ...
A escolha do local de encontro a quatro, para preparação artística, foi Urueña, uma
Pequena vila medieval muralhada perto de Tordesilhas, por ser a localização mais central para os quatro músicos. Urueña é a primeira Vila Livro de Espanha com onze livrarias. Tem ainda dentro das suas muralhas a Fundação Joaquin Diaz, o
Mais importante centro etnográfico Espanhol e a colecção de instrumentos tradicionais de Luís Delgado.
Isto tudo numa localidade com pouco mais de 200 habitantes. Jangada de Acordeões faz a sua estreia em 2011 no Festival Acordeões do Mundo em Torres Vedras.

Artur Fernandes (Águeda, Portugal)
Xuan Nel Expósito (Oviedo, Astúrias, Espanha)
Ignacio Alfayé (Saragoça, Aragão, Espanha)
Pedro Pascual (Santiago de Compostela, Galiza, Espanha)


5 DE NOVEMBRO (SÁBADO)
21h30 | Mairtin O'Connor Band [Irlanda]
Local | Teatro-Cine de Torres Vedras

A banda de Mairtín O'Connor, na sua formação actual, tem vindo a evoluir, desde 2001, no sentido de uma entidade musical coesa.
Durante os últimos anos, os 3 músicos construíram uma formidável relação musical, não só através de frequentes actuações ao vivo, mas também de trabalho conjunto em estúdio.
O catalisador desta união foi Mairtín O'Connor, ao convidar os outros músicos a participarem nos seus trabalhos, numa colaboração que acabou por surgir também ao vivo, fruto da relação musical e pessoal que se foi desenvolvendo entre eles.
Individualmente, os três construíram uma sólida reputação como músicos, em termos de capacidade e versatilidade.
Mairtín constitui uma das principais forças musicais do já lendário fenómeno Riverdance. Sozinho ou integrado noutras bandas, Mairtín conseguiu chegar onde nenhum outro acordeonista irlandês chegou antes, sendo um dos mais respeitados e amados músicos oriundos deste país.
Cathal Hayden alcançou reconhecimento mundial como um dos fundadores de Four Men and a Dog. Sendo um dos violinistas topo da Irlanda, as suas performances solo de banjo são simplesmente avassaladoras.
Nos últimos anos, Seamie O'Dowd's tem visto as suas capacidades musicais tornarem-se cada vez mais conhecidas a nível internacional. Profundamente enraizado na música tradicional de Sligo (Irlanda), as suas participações abrangem diversos géneros musicais, da música acústica à música eléctrica.

www.myspace.com/mairtinoconnorband

 

10 DE NOVEMBRO (QUINTA-FEIRA)
21h30 | Roland Becker and Regis Huiban [ França]
Local | Teatro-Cine de Torres Vedras

Amigos de longa data, estes 2 bretões - Roland BECKER saxofonista e Régis HUIBAN acordeonista - tocam juntos há mais de 10 anos. Um é conhecido como o "homem dos 7 instrumentos" da música contemporânea, o outro por levar o swing à música barroca. Juntos revisitam um reportório abrangente, inspirado nas ambiências da América do Norte e do sul da Bretanha.
Mas a sua música celebra mais que a colaboração entre 2 músicos de renome. Nela reconhecemos a mestria, a proximidade na interpretação e a frescura da amizade. O casamento acontece e a magia instala-se: beleza de sons, luminosidade dos temas, elegância e sobriedade, sem esquecer todo o seu poder. Neles encontramos a vitalidade da música bretã, uma das mais ricas correntes da World Music actual.


www.myspace.com/kofakof

11 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA - FERIADO MUNICIPAL)
21h30 | Concerto de Homenagem a Eugénia Lima
Documentário
Actuação de Bianca, Catarina Brilha, José Cláudio e Tino Costa
Local | Teatro-Cine de Torres Vedras

Eugénia Lima, acordeonista e compositora, é incontornável no palco musical português. A sua carreira, plena de sucessos e de persistências, lavrou caminhos que registam singularidades que só os mais capazes são capazes de o afirmar e de o reproduzir. Mulher num mundo em que a história é narrada principalmente por homens, conseguiu impor a sua sonoridade com a altura, a intensidade e o timbre de uma musicalidade ímpar que acompanhou várias gerações. Compositora, tocadora, acordeonista, tocou em milhares de palcos, desde que a sua Beira Baixa a viu partir ainda menina, para os palcos mais afamados, na época, em Portugal. Seguiram-se outros em diversos países, por onde espraiou um sem número de melodias, que lhe deram base para editar mais de meia centena de discos, com inicio na década de 40 do século passado. Dos arraiais mais populares, às salas mais faustosas, a sua música foi ponto de encontro e de festa. Premiada, medalhada e distinguida com os mais diversificados diplomas e honrarias, não podia deixar de estar na nossa festa e no nosso festival. Símbolo entre gerações, esta singela festa que decidimos fazer representa o carinho com queremos brinda-la, propondo a audição de jovens acordeonistas mais que promissores. O Festival Internacional de Acordeões de Torres Vedras é também a ponte entre o passado, o presente e o futuro de culturas e de vontades que, renovadas, nos darão alento e forças para continuar a dar espaço às memorias que um Povo constrói. Este festival ergue a taça de honra e da gratidão pela sua presença. Obrigado Dona Eugénia Lima. Ficaram para sempre registadas nas nossas memórias composições suas como " Minha Vida": "Meu Sonho": "A Minha Lágrima": "Picadinho da Beira" e o célebre "Fadinho de Silvares" entre tantas, tantas...

 

 

BILHETES
+ INFO